Livros - Junho de 2015

Como eu tinha mencionado no artigo do mês passado, no mês de junho o número de livros comprados e que ganhei devido ao meu aniversário foi bem alto! Infelizmente nem todos vieram do meu Wish List no Amazon, mas quem ainda me quizer fazer feliz, fica a dica bem descarada aqui :)

Lidos

Parece que eu li bem pouco, comparado com os outros meses, mas não foi bem assim não. Mais para frente você vai ver que eu estou lendo um livro com mais de 900 páginas, e como eu para variar leio vários livros ao mesmo tempo, eu não consegui terminar ele todo este mês... mas estou quase lá :)

O livro The Open Organization por Jim Whitehurst, o atual CEO da Red Hat (companhia para qual eu trabalho desde 2011), eu ganhei quando ele foi lançado e eu resolvi dar uma prioridade a ele, não por ter sido escrito pelo chefe do meu chefe :) mas sim por tratar de assuntos que me interessam, e muito. O livro toca em muitos assuntos que não são necessariamente novos para mim, mas que fazem parte do meu dia à dia e que eu tenho oportunidade de praticar no meu trabalho. O conceito de meritocracia faz parte do DNA de todo mundo aqui na Red Hat e é bem bacana ler sobre como que tudo isso afetou e moldou o a personalidade e caráter do Jim Whitehurst depois que ele saiu da Delta e entrou na companhia. O "shock cultural" por qual ele passou foi bem interessante e algo que eu tive a oportunidade de aprender haá alguns anos atrás. Várias das pessoas que ele cita no decorrer do livro são pessoas que eu tenho contato direto, o que fez a experiência da leitura muito mais íntima e relevante para mim.

Wise Blood da Flannery O'Connor foi uma recomendação da minha esposa, e como eu já tinha lido outras estórias da Flannery O'Connor (e fiquei super impressionado com a primeira delas, A Good Man is Hard to Find), decidi ler um pouco mais das coisas que ela escreveu. Como na maioria das coisas dela que eu li antes, existe um tema bem forte sobre religião e como que isso afeta as pessoas, nem sempre de uma forma positiva. Os personagens e cenários também são baseados na região do sul dos Estados Unidos, e é realmente bem surpreendente como ela consegue captar a essência do sul do país! Infelizmente eu senti que o enredo do livro estava maio que desconectado, com eventos que não pareciam adicionar nada à estória principal e personagens que depois de muita participação simplesmente desaparecem sem nenhum rastro ou impacto na conclusão. Foi somente depois que dei uma investigada que descobri que este livro parece ter sido feito por várias outras estórias que a autora escreveu mais cedo em sua carreira, e foram "martelados" juntos para criar um livro só. De qualquer forma, eu recomendo esta escritora caso você ainda não a conheça, e recomendo fortemente o A Good Man is Hard to Find por ser bem "dark" e um perfeito exemplo do estilo dela!

Lendo

Para falar a verdade, eu quase não toquei no The Memoirs of Sherlock Holmes neste mês, especialmente por que, como eu falei no artigo anterior, eu não fiquei impressionado com as estórias e achei a grande maioria super maçante. Vamos ver se eu termino ele...

O Fluent Python do Luciano Ramalho foi outro que eu quase não abri, mas por motivos bem mais diferentes. O problema foi encontrar tempo livro para ler um livro técnico, isso depois de passar o mês inteiro resolvendo problemas no trabalho. Todo o meu tempo livre em junho foi passado lendo coisas que me relaxavam e eu fiz um esforço grande para me desconectar de qualquer tema que fosse relacionado a trabalho. Mas o livro é supimpa e eu vou terminar ele sim!

O Cryptonomicon é o livro que eu mencionei antes por ser enorme (910 páginas na edição que tenho) e ter tomado grande parte do meu tempo de leitura. Eu geralmente leio ele à noite, bem antes de dormir. A estória é bem interessante e dar para ver por que muitas pessoas o sugerem para quem gosta de ficção. Misturando um pouco de história da segunda guerra mundial, com personagens da vida real, e tecnologias que fazem parte da nossa vida hoje, eu tenho lido este livro aos poucos, me deliciando com cada capítulo e revelações. Já estou quase na página 600 :)

O S do J. J. Abrams tem sido o livro mais difícil de ler! Não por ser chato (como o The Memoirs of Sherlock Holmes) mas por requerer muito tempo e "trabalho" para ler. Deixa eu explicar. O livro tem uma estória bem interessante, sobre uma pessoa que um dia se dá por sí em um local completamente estranho... com sua roupa completamente molhada de água do mar... e com aminésia! Mas durante o livro todo, as margens das páginas estão completamente cheias de comentários e mensagens escritas à mão (com caneta, lápis, etc). Quando você começa a ler estas mensagens, você descobre que duas pessoas completamente desconhecidas (tanto para nós, os leitores, mas também entre eles mesmos) começaram a se comunicar casualmente deixando 'recados' nas margens deste livro, o qual eles pegam e retornam à biblioteca toda vez que querem receber uma resposta do outro. Durante o percorrer deste comentários você então descobre que a estória descrita no livro talvez seja uma mensagem codificada para explicar a estranha vida e eventual desaparecimento de seu autor. A cada 10 páginas você encontra papeis avulsos que supostamente teriam sido deixados pelas duas pessoas que estão se comunicando às margens do livro, cópias de documentos, cartas ou jornais que servem de pistas e provas que foram encontrados pelos mesmos tentando desvendar o mistério. Para cada página que você lê da estória do livro, você passa quase o mesmo tempo lendo os comentários e papeis avulsos. Super bacana mas bem trabalhoso para ler ;)

Comprados

Já dentre os livros que eu comprei, todos usados, eu fiquei super feliz por ter encontrado o Dom Casmurro do Machado de Assis, só que em inglês! A próxima vez que eu for ao Brasil (acho que em outubro vou à São Paulo) vou levar uma mala a mais só para trazer uma tonelada de livros brasileiros!

Bem, mais uma vez eu espero que vocês tenham curtido este relatório mensal e, mais uma vez eu pergunto: o que você tem lido de interessante ultimamente? :)


Comments

comments powered by Disqus